EUA pedem respeito a processo contra presidente do Paraguai

O governo dos Estados Unidos pediu nesta quinta-feira que a comunidade internacional e as forças políticas «respeite escrupulosamente o devido processo» no julgamento político do impeachment do presidente do Paraguai, Fernando Lugo, aprovado pela Câmara de Deputados do país.
Igreja Católica do Paraguai pede a presidente que renuncie
Começa julgamento político do presidente do Paraguai
Câmara aprova início do processo de impeachment
Lugo enfrenta processo de impeachment no Paraguai; saiba mais
Unasul vai enviar comissão de chanceleres ao Paraguai, diz Patriota
OEA pede diálogo para manter ‘paz interna’ no Paraguai

Em comunicado, o porta-voz para a América Latina do Departamento de Estado, William Ostick, afirmou que Washington observa os acontecimentos no país sul-americano e que a embaixada em Assunção acompanha «bem de perto» o desenrolar da ação contra Lugo.
Presidente do Paraguai enfrenta processo relâmpago de impeachment
RIO — O ministro do Meio Ambiente do Paraguai, Oscar Ribas, acusou a oposição de golpe de Estado, ao dar pouco tempo ao presidente Fernando Lugo para se defender. Ele disse que o governo amargou uma derrota nas eleições parlamentares e, por isso, seus aliados são apenas três deputados e dois senadores. Lugo enfrenta um processo relâmpago de impeachment após 17 mortes em uma desocupação de terras na semana passada. Manifestantes se dirigem para Assunção e o policiamento foi reforçado.
A votação no Congresso é praticamente uma destituição sumária disfarçada de ilegalidade. Não é possível destituir um presidente em 24 horas – ressaltou.
Ribas disse que a missão de chanceles que está a caminho do Paraguai encontrará um país diferente, que passou por uma evolução positiva. Segundo ele, o povo saiu às ruas para defender Lugo, pois não quer perder os benefícios de inclusão social e recuperação de autoestima que obtiveram nos últimos anos.
– A inclusão social e a autoestima são os grandes inimigos da impunidade, da corrupção, porque a cidadania não admite privilégios de pequenos grupos. Há uma manifestação popular ocorrendo no Paraguai neste momento em defesa da democracia, da legalidade verdadeira _ afirmou o ministro, que participa da reunião da Rio+20.