CINCO CARROS QUE NÃO DEVERIAM SER VENDIDOS NO BRASIL

É pouco, eu sei, mas deu pra reduzir um top 50 para 5 dos carros que não deveriam ser vendidos no Brasil. Neste ranking, além do design, levei em conta preço, consumo, custo de manutenção e valor de revenda. O ranking é composto apenas por carros «nacionais» e que foram desenvolvidos para o nosso mercado

 
 
 
 
 
 
 
Fiat UNO (o novo): Sua missão era substituir o xará Uno Mille, mas não passa nem perto disso. Econômico é só no nome e na versão 1.0 do Economy. A manutenção é cara e complicada e além de tudo é feio pra dedéu.

 
 
Chevrolet Corsa Classic: Os mesmo problemas do Celta/Prisma com uma coisa pior ainda. Esse carro foi concebido em meados dos anos 90! Mexe aqui , ali e essa coisa continua velha! Esse carro não deveria ser bom nem pra taxista, mas estamos no Brasil…
 
 
 
 
Chevrolet Celta/Prisma: Os dois carros são bons. Manutenção fácil e barata, baixíssima desvalorização, potentes e econômicos na medida certa. O que destrói esses carros são a plataforma jurássica, acabamento pobre todo em plástico, tamanho, aerodinâmica e segurança.
 

 
 
 
VW Gol G4: Tudo bem, manutenção barata e fácil, econômico e relativamente seguro. O que faz com que esse carro entre na lista é o fraquíssimo 1.0 e o acabamento interno. Até pouco tempo esse carro não tinha nem marcador de temperatura!
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
Peugeot 207 SW/Escapade: É um carro até barato. Pense bem, perua, vários equipamentos de série por 37 mil e poucos. Só que a Peugeot se esquece que o 207 SW não é uma perua. É um hatch piorado. Fora isso, a desvalorização é tão grande, que é melhor você investir na bolsa de Tangamandapio.